Professores da Proarte destacam-se por qualificação e experiência

14 de outubro de 2016 16:150 comentárioViews: 19

dsc02486

A qualificação para docência, aliada à experiência prática dos professores de música da Proarte de Itajaí, é um dos grandes diferenciais da escola com 33 anos de história. O grupo é formado por 11 professores, todos com formação para ministrar aulas de música, de acordo com métodos e técnicas recomendadas a cada faixa etária e instrumento musical.

 

O grupo docente da Proarte é formado pelos seguintes profissionais: Bárbara Damásio, (canto e expressão vocal, técnica vocal, musicalização infantil e prática de conjunto coral); Carlos César Silva Oliveira (técnica vocal, violão e guitarra); Willian Goe (bateria, violão, prática de conjunto e musicalização infantil); Daniele Giardello (violino); Josimar José Cordeiro (acordeom, teclado e piano); Mario Jr. (bateria); Thales Godoi Nunes, (violão); Juliani Santana de Oliveira (piano); Rafael Petry (acordeom e piano); Ricardo Aurélio Carballo Domingues (musicalização infantil, prática de conjunto de percussão e expressão corporal); Alexandre Siquera (guitarra e violão).

 

O aluno Fernando de Oliveira diz que a qualidade técnica dos professores da Proarte foi um dos principais motivadores na escolha da escola para estudar acordeom com o músico Josimar Cordeiro. “Além de ter formação comprovada com didática e métodos bastante dinâmicos, os professores têm vivência de mercado. A trajetória deles é referência, exemplo e motivo de orgulho para nós, alunos”, comenta.

 

O desenvolvimento das habilidades

 

A presidente da Proarte de Itajaí, Eneide Liberato, destaca a importância em fomentar o ensino de qualidade na escola e o quanto isto está vinculado à formação e desempenho dos professores. “O trabalho deles é facilmente percebido por meio do desenvolvimento de nossos alunos. Cabe aqui ressaltar que não estamos falando apenas da formação de futuros músicos, mas principalmente de cidadãos conscientes e críticos”, ressalta.

 

Eneide comenta ainda que em um momento que o país discute sobre a obrigatoriedade de disciplinas como Artes e Música na escola regular, vale um olhar especial para atividades que desenvolvam, despertem e valorizem as habilidades. “O papel destes professores é transformador e isto se aplica não apenas às crianças. Temos uma aluna de mais de 80 anos que agora está realizando o sonho de estudar piano”, pondera a presidente.

Leave a Reply


Facebook